Pages

sexta-feira, 4 de abril de 2014

7 dicas: o que você quer mesmo que seus alunos façam com tecnologia?



8 aplicativos para estudantes organizarem rotinas e melhorarem desempenho.


FONTE: http://lousadigital.blogspot.com.br/search?updated-max=2013-11-22T06:05:00-02:00&max-results=5&start=30&by-date=false

3 dicas para promover o uso seguro da internet em sua escola.


FONTE: http://lousadigital.blogspot.com.br/search?updated-max=2013-11-22T06:05:00-02:00&max-results=5&start=30&by-date=false

5 buscadores feitos para crianças -> pesquisa na internet.


FONTE: http://lousadigital.blogspot.com.br/search?updated-max=2013-12-02T17:01:00-02:00&max-results=5&start=25&by-date=false

Como ajudar seu filho a estudar com qualidade na rede?


          A internet é importante na hora da educação por estar intimamente ligada ao dia a dia da criança e do jovem
          Em tempos de comunicação digital, você faz ideia de como o seu filho estuda? É bem provável que irá encontrá-lo no quarto com a TV ligada, a tela do computador repleta de janelas abertas - e pronto para atender à chamada do celular. E, se você acha que o seu filho não está levando os estudos a sério, dê atenção ao exemplo de Fernanda Salgado, paulistana de 17 anos. Às vésperas de prestar vestibular para Direito, ela diariamente faz pesquisas, enquanto troca mensagens no Facebook, assiste vídeos no YouTube e compartilha textos no Googledrive. Tudo rápido, simultâneo e resolvido com o seu iPad. Mas - você gostaria de confirmar - e os estudos? "Vão bem, só desvio a atenção deles por minutos", diz, ela que tem ótimo rendimento escolar.

          Seguramente, esse não foi o modo como você - e os pais dos colegas do seu filho - se habituaram a estudar para um exame. "É outra forma de lidar com o conhecimento", aponta Luciana Allan, diretora técnica do Instituto Crescer. "O cérebro do jovem trabalha hoje de outro modo", reforça Sonia Bertocchi, do blog Lousa Digital. Fato é que muito ainda se faz necessário para entender a forma como a garotada hoje se relaciona com a internet. E, por conhecer pouco, pais e professores sentem-se inseguros para orientar. Com a ajuda das especialistas, preparamos dicas que indicam o que deve ser feito para estimular crianças e jovens a aproveitar a rede nos estudos.

Para ler, clique nos itens abaixo:





Tendências web: sai selfie entra braggie ... quem nunca?


          2013 foi o ano da "selfie": foi eleita a palavra do ano pelo dicionário Oxford e virou celebridade graças ao Obama ;-) Mas seu reinado durou pouco: já surgiu outra para disputar o posto: "braggie". 

          Por conta da novidade, publiquei uma nota no FaceBook sobre essa nova tendência web e senti uma certa indignação nos comentários. Especificamente  em relação à definição do comportamento:
 braggie é uma foto tirada apenas para se exibir e provocar inveja nos amigos ou nos seguidoresA origem é brag, que remete a vangloriar-se, gabar-se, ou vaidade. 
Vamos então ver o que mais dizia a notícia.

URGÊNCIA NA PUBLICAÇÃO

De acordo com uma votação de 2.000 pessoas para o aplicativo móvel Hotels.com, 5,4 milhões de turistas britânicos enviaram suas fotos nos 10 minutos após a chegada ao destino.  25% dos viajantes britânicos compartilharam uma foto no máximo em 1 hora a partir da chegada. O tempo médio que as pessoas esperaram para "vangloriar-se"  174,5 minutos, quase 3 horas .

FOCOS 

Vista da janela do hotel,  a cama,  a área circundante e da paisagem, como na praia ou piscina .

POSES

1/3 dos britânicos tira e partilha fotos que envolvem apenas a si mesmos quando estão férias: ficam rodeados por coquetéis, à beira da praia ou piscina, fazendo beicinho para a câmera.

TRUQUES

70% das pessoas admitiram dar uma aprimorada nas fotos antes de enviá-las.

TOP 10

A pesquisa constatou que entre as 10 melhores fotos tiradas estão: "eu mesmo de óculos de sol ", "eu mesmo em trajes de banho" e "minha cama".


Isto posto, vamos à autocrítica? Quem nunca? 


Fechar a conta do FaceBook? 11 motivos que estariam nos levando a pensar seriamente nisto.

Muito comum ver em meu mural pessoas anunciando sua saída, ou melhor, sua intenção de sair do FaceBook. Cada uma com seus motivos pessoais, claro. Nem todos saem. Muitos encontram soluções intermediárias: usar menos, usar só para trabalho, "limpar" a timeline, ser mais seletivo com os pedidos de amizade, reforçar as medidas de segurança e privacidade e por aí vai.

Mas o fato é que existe sim um desconforto com esta mídia. Renee Jacques, jornalista do The Huffington Post, publicou no último dia 30 um artigo em que enumera 11 motivos pelos quais as pessoas encerrariam, suas contas FaceBook em 2014.

Vamos ver? Pra facilitar a visualização, preparei um infográfico.



10 opiniões de usuários nota 10 - Ficar no Facebook por quê?

          O texto não tem a pretensão de esgotar o assunto, muito menos de ser um "artigo" ... está mais prá conversa mesmo ... quando todo mundo fala em sair, a gente ainda enxerga alguns bons motivos pra ficar ... e compartilhamos esses motivos em uma postagem no próprio FB ... Para que não ficasse perdida na TL, registramos a conversa e cada um pode compartilhar/guardar/usar da forma que achar mais produtiva.


FONTE: 

6 passos para planejar aulas com Internet.


FONTE: http://lousadigital.blogspot.com.br/search?updated-max=2014-02-24T11:00:00-03:00&max-results=5

Twitter na escola: pode ser um recurso pedagógico? estimula habilidades? favorece disciplinas? pode ser usado no dia a dia da sala de aula? exige cuidados?

          Vamos ao ponto: Twitter é um recurso tecnológico que pode ou não ter finalidade pedagógica. Assim como o que acontece com vários outros recursos/ferramentas, digitais ou não. O que vai definir esse uso em processos de ensino-aprendizagem é a intencionalidade pedagógica estabelecida pelo professor/grupo de professores.

          Mas sempre insisto em afirmar que existe um ganho incontestável e que considero fundamental quando se usa mídia social na escola: aproximar a escola da cultura digital da qual os alunos fazem parte, queira a escola, ou não. É meio que uma forma de se derrubar muros e trazer o mundo como ele é pra dentro da escola. Enriquece o currículo.

          Além desse ganho, significante, o Twitter usado em atividades em sala de aula pode desenvolver: habilidades de comunicação em meio digital, construção coletiva de saberes, entre outras, como por exemplo, leitura e escrita. Habilidades sociais, engajamento...

          É importante também lembrar que todas as disciplinas podem se beneficiar dos recursos do Twitter, uma excelente plataforma de comunicação que poderia ser usada para manter o grupo informado sobre atividades, cronogramas, expressão de ideias, opiniões sobre um determinado tema/situação... que depois devidamente tagueadas, são agregadas e podem constituir documentos que servem de base para uma possível/posterior avaliação.

          Enfim, há inúmeras maneiras de se usar este recurso como ferramenta que auxilia processos de ensino-aprendizagem: tuitentrevista, tuitencontro, tuitaço, chat... formar grupos (listas) por interesses... comunicar eventos da escola... Importante é se tirar proveito das funcionalidades/possibilidades que a ferramenta oferece. Para isso acontecer é preciso experimentar / explorar.
Professores, no entanto, ficam muito apreensivos em usar Twitter em suas aulas.

Penso que não haja cuidados específicos para este recurso, ou para as demais redes sociais. Penso que a escola que promova situações frequentes em que se possa discutir sobre viver em grupo, ética nas relações, ser e estar em sociedade, já faz um bom trabalho.

          Não gosto muito dessa aura de perigo que se cria em torno das redes sociais, principalmente na grande mídia. As ruas são cheias de desafios e as crianças aprendem a andar nelas ... estar em rede também precisa ser aprendido ... e a escola pode colaborar muito neste processo.

O que você acha? Vamos conversar sobre? Envie seu comentário.


Wikipédia na sala de aula.

A Wikipédia, considerado o 5º site mais acessado do mundo, é uma enciclopédia online gratuita e colaborativa. 
Por ser uma plataforma colaborativa, qualquer pessoa pode editar o conteúdo do site, a Wikipédia tem a fama de ser uma fonte não confiável, dessa forma muitas vezes não é aceita como referência em trabalhos escolares, principalmente acadêmicos. Lembro bem de uma professora falando que a ferramenta pode ser um ponto de partida para pesquisa, mas não a única fonte utilizada. Concordo, mas ela também pode ser usada na sala de aula para construção crítica de conhecimento. 
 “A Wikipédia é uma expressão da realidade 2.0, interativa e participativa, e deve ser utilizada de maneira crítica e com domínio do formato”. – Roxane Rojo, docente do curso de pós-graduação em Linguística Aplicada da Unicamp na Revista Nova Escola de Agosto/2013, pág 62. 
Uma proposta simples de como fazer:
- Escolher um tema;
- Aula explanatória e debate com alunos;
- Acessar a Wikipédia para pesquisa do tema;
- Leitura crítica sobre o conteúdo encontrado;
- Levantar equívocos ortográficos, gramaticais e de conteúdo;
- Pesquisa e debate para construção de novo verbete;
- Produção colaborativa do novo verbete;
- Atualização na Wikipédia.

 > Veja um guia completo criado pelo professor Ivan Paganotti no Site da Revista Nova Escola. 

Esse tipo de atividade ajuda ao aluno ter uma visão crítica das informações que encontram e compartilham na internet. Ao aplicá-la o professor pode chamar atenção de que é preciso ler com olhar crítico as informações encontradas antes de clicar no botão “compartilhar”. Isso mostra que a internet é muito mais que entretenimento e deve ser utilizada constantemente como um meio para auxilar os estudos.


Além disso tudo, o aluno toma consciência de que, com ajuda das novas mídias, é possível ser um produtor de conteúdo desde que haja cuidado com as informações que desejam compartilhar. 
 “Ao produzir informação, os alunos ganham autonomia para atuar como sujeitos ativos, capazes de gerar ideias e solucionar problemas que enfrentam no cotidiano”. Márcia Fortunato, coordenadora da pós-graduação em Formação de Escritores do Instituto Superior de Educação Vera Cruz (Isevec), pág 64.


O que é uma lousa interativa?


          Uma lousa interativa (também chamada de lousa digital) é um equipamento capaz de tornar as aulas mais interessantes e atrativas, por meio da tecnologia “touch” (toque). É um recurso multimídia que, conectado a um computador, permite que os movimentos feitos tradicionalmente com o mouse, sejam feitos com a mão (ou algum objeto), como se a mão fosse o mouse. Há muitas marcas disponíveis no mercado. Uma delas é a Smart Board, empresa canadense e pioneira nesse tipo de recurso pedagógico.

          A lousa interativa Smart Board acompanha o software Smart Notebook, desenvolvido para uso pedagógico, que permite a criação de atividades interativas, com infinitas possibilidades, que atinge todos os níveis escolares, desde a educação infantil ao ensino superior. Isso porque o que vemos na lousa interativa, é a imagem da tela do computador ampliada, ou seja, tudo que é possível ser feito no computador, fazemos na tela interativa. Desde navegar na internet a usar qualquer outro recurso do computador (criar planilhas, textos, vídeos, imagens, jogos, etc…).


Aplicativo Educacional: Quizlet.


          Quizlet é um aplicativo gratuito que fornece ferramentas de aprendizagem interativa, como flashcards, sequências de estudos e jogos. Foi criado por um estudante do segundo ano do ensino médio de uma escola européia em 2005 e hoje contém mais de 30 milhões de materiais de estudo, que são elaborados pelos próprios usuários.
          O aplicativo está disponível para iOS (iPhone, iPad…) e Android e também pode ser acessado direto pelo site.
          É possível criar conjuntos de estudo com termos e definições sobre qualquer assunto/tema, para todos os níveis da educação. E também adicionar imagens, copiar e colar ou usar o “Quizlet built-in”, um recurso que acelera o processo de criação. Abaixo um resumo dos tipos de conteúdos que podem ser elaborados pelo usuário (professor/aluno): 1. “Cards”: Apresenta o conteúdo em forma de cartões, como slides, e ainda é possível ouvir o conteúdo dos cartões em 18 idiomas diferentes, inclusive a Língua Portuguesa.
         
          Continue lendo em http://corujasdigitais.com.br/aplicativo-educacional-quizlet/

Acesse o site por  Acesse http://quizlet.com/

Tecnologias na Escola – Conectando Ideias.


          A Secretaria de Educação do Governo de Pernambuco lançou um guia com 7 fascículos com o objetivo de apresentar aos professores a infraestrutura tecnológica existente nas escolas, para que assim eles possam utilizá-la de forma favorável à educação.

Fascículo 1 – Laboratórios, Service Desk, Conectividade, Projetos Tecnológicos, Equipamentos;
Fascículo 2 – Recursos tecnológicos, Editor de texto, Planilha eletrônica, Slides de apresentação, Software educativo;
Fascículo 3 - Internet, Email, Web 2.0, Robótica Educacional;
Fascículo 4 - Webquest, Blogs, Flickr;
Fascículo 5 - Linux Educacional;
Fascículo 6 – Uso pedagógico do projetor, Sites educacionais;
Fascículo 7 – Laboratório móvel, Software de gerenciamento v-Class, Lousa Digital, Quiosque Multimídia, PC Tablet.